FÉRIAS

               Quem já acampou sabe o que é adaptar-se a uma nova condição ambiente com rapidez e boa vontade.

            Acho que com a insegurança reinante nos dias correntes, a prática é cada vez menos cultivada. Em todo caso, a época de verão já foi para muitos e ainda é para tantos um tempo de acampamento. Ir para a natureza, arranchar-se no meio do mato, exige certo engenho e dose de imaginação.

            O acampamento é o lugar do transitório, é a recuperação de uma forma de vida que nos chama para perto do primitivo, para um modelo de existência distanciado do aparato tecnológico que cada vez mais nos rodeia. Por isso mesmo, o acampamento transmite-nos algumas noções interessantes.

            Uma delas é histórica: podemos ter a dimensão de uma prática que foi frequentemente imposta a legiões de colonizadores que povoaram nosso passado – dos bandeirantes dos primeiros tempos aos imigrantes europeus de épocas mais recentes. O improviso, o enfrentamento da natureza bruta, a impunidade do isolamento, guardadas as proporções e as necessidades tão diferentes entre a nossa situação e a daqueles desbravadores, são vivências que podemos imaginar mais claramente quando acampamos. Outra noção que a prática nos traz é social: temos a possibilidade de vislumbrar aspectos do morar ao relento, como fazem hoje milhares de criaturas que habitam nas ruas de nossas cidades.

            Em todas essas situações – no faz de conta do lazer, na dura rotina do colonizador, na marginalização do sem teto – mostra-se a incrível capacidade de adaptação do ser humano. Construímos nosso mundo no horizonte da circunstância que nos é dada e crescemos na medida em que somos capazes de vencer as limitações que atravessam nosso caminho.

            Neste janeiro que se vislumbra é oportuno lembrar que o espírito do acampamento – com suas doses insubstituíveis de improviso e adaptação – é algo original que podemos almejar como ideal de férias inesquecíveis. Pelo prazer ou, até, pelo desprazer. De qualquer forma, longe do computador e do celular.